RSS

Arquivo do autor:Bacelar

Descargas D’água

12002261_997290283626183_2477990989537561568_n

A cascata é pública
Mas o público não vai à cascata
Se o público, da cascata, é privado
Então a cascata, pública, vira privada
Privada pública

cipo chafariz

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de setembro de 2015 em Guerra dos Sexos

 

Barcelar

12004718_996241430397735_4962585794623280992_n

Às vezes eu penso como seria a triagem na porta do céu. Já te ocorreu tal pensamento? Imagino São Pedro na portaria com uma caderneta na mão, ou tablet, sei lá, e a me perguntar:

– Seja bem vindo, Bacelar. Espero que tenha apreciado os pães e peixes que servimos na sala de espera.
– Pães… Quem diz pão no plural? Esse santo deve ser viado. Hehe ( pensamento)
– Sabia que posso ouvir teus pensamentos aqui?
-Grande Santo! Esse é o Santo mais mizerê do mundo! Do Brasil! Quiçá até da Bahia! O nota 10 na escala da santa mizerabilidade! (Pensamento)
– vou ignorar isso. Enfim… Quantas cervejas o senhor bebeu durante a sua vida na terra?
– 17437, Senhor Santo! Tomei umas cana tumbêim, mas não sei se entra em sua contabilidade santa.
– responda somente o que te é perguntado! Aqui não se acha graça em gaiatice de baiano.
– Agora entendi! Esse corno deve ser paulista. Sujeito azedo da peste! Esse na escala de pH é nota dez de azidume!
– 10 seria alcalino, não?
– Santo, na moral… Sáporra eu posso entrar ou não? Que apurrinhação! Avie!
– Desculpe, senhor, ficaste abaixo da cota celestial de 17449 cervejas. Sinto muito. Próximo!
-Ficaste… É viado mermo, rapá! ( pensamento)
-Senhor, contenha-se!
-Mas por uma caixa, bicho santo? Aí também já é demais também…
– Já aconteceu de gente voltar por menos. Entenda e aceite isso!
– Mas eu também tomei umas Pitu¥, Caninha da roça, milome, Pau de rato, jurubeba, erva doce, Bhrama fresh, que Deus me perdoe!, capim Santo, aí ó! Tá veno você? Quebra essa pra mim aí, Pedrão! Na moral.
– sem chance!
– Ah! Eu tomei 243 garrafas de São Jorge também! Posso falar com ele?
-Falei que esse lance do Jorge ia terminar em Lobby. Um minuto… Tudo bem. Pode entrar. São Jorge disse que você está nas cotas dele e que até por isso está chegando 7 anos adiantado.
– Valeu, meu Santo! Cá sua licença…

Moral da história: sempre tome mais uma caixa. O humor de São Pedro é imprevisível.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de setembro de 2015 em Falando Sério

 

Quando a gente abre a janela, o sertão bate à porta

Acabei de desligar o telefone. Do outro lado da linha estava minha avó – que eu chamo de mãe como, eu acho, toda avó deveria ser chamada – desliguei e pela cabeça me passaram lembranças que quase não as reconheço como minhas.
Lembrei-me de quando cheguei à cidade grande, das coisas que me chamaram a atenção e das tantas outras que me deixavam tenso. Achava estranho que toda a gente estivesse com pressa, mas andassem em separado, em direções diferentes – é que em minha terra só se tem um evento por vez e, quando há, com ou sem pressa, todo mundo vai junto pra o mesmo lugar; e como achava irritante dar um bom dia e não ouvir nada como resposta.
Aquilo me deixava contrariado!!! Hoje deixa um pouco menos… E percebo então que a boa educação – a boa mermo! – é aquela que consegue ignorar a falta que ela faz no outro.

Desliguei o telefone e fui desligado pra a janela dar uma conferida no céu. Céu escuro, nublado, pesado, denso… Tempo feio, pensei!
-Alô?! Mãe? Sô eu.
-E puracaso eu não sei?!
-Bença, mãe!
-Que Deus te abençoe, ilumine e lhe dê vergonha…
-Tá tudo bem, mãe? Como estão as coisas?
-Tá sim, meu fio. Tá chuveno! Céu bonito! Tempo fechado! A chuva
parece que vai dar uma estada mais demorada por aqui… E aí? Como tá
o tempo?
– Tá bonito, mãe. Acabei de perceber … Tá bonito!
(…)

céu cinzento

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de novembro de 2012 em Falando Sério, Pior é na Guerra

 

Faça parte do que você já é

Achamos que interagir, conhecer pessoas e relacionar-se com elas é a forma mais eficiente de expansão de conhecimento, assim como dividir experiências é somar informações.

Criar para nós um espaço nosso. Um lugar onde possamos, juntos, expor nossa visão de mundo e, com isso, vê-lo ainda melhor e fazer das sensações alheias as nossas próprias sensações. Enfim, sermos produtores do que tanto consumimos: Cultura e informação.

digerir cultura

“Dar ouvidos ao que escrevemos” e de não sermos apenas “mais um no mundo” e sim sermos “um com mais”. Juntos somos tudo aquilo que separados só seríamos parte. Esse é o nosso lugar, puxe uma folha em branco e faça das suas reflexões a nossa imagem.

Alimente-se de cultura e digerirás o mundo!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 12 de julho de 2012 em Falando Sério, Mundo cão, Porta Retrato, Pseudo Cult

 

Primeiro os primórdios

primeiro os primordios 1

Esse foi um dos primeiros textos que escrevi e, acredite, isso faz tempo.
Vasculhando a gaveta encontrei uma lauda amarelada, talvez por vergonha de ter-se escondido por tanto tempo.
A qualidade não é lá grandes coisas, logo, sejam complacentes com as linhas e não descarrilem a idéia. Antes, porém, deixem eu contextualizá-lo.
Vivemos num país onde temos um escândalo por dia, faltam dias pra tantos escândalos, é um atrás do outro ou na frente, sei lá…
Já perdi o senso de direção e por pouco os sentidos. CPI virou parte do nosso vocabulário: Mais uma daquelas palavras que não servem pra nada. Não dá tempo nem de absorver o golpe e lá vem outro e outros… Nossa sociedade está mergulhada num intenso estado de catatonia. Ninguém vê ou ouve nada, nem mesmo aquilo o que se fala.
Parece que virou moda ser resignado e aceitar de forma pacífica ou passiva tudo que aí está – tendência “ou trono/inferno” – que ser submisso é ser elegante e ficar calado é ter etiqueta. O inaceitável virou quebra-queixo: Duro, mas docinho de engolir.
No Brasil quem tem boca vai a Roma, mas dá uma preguiça danada reclamar na rua do lado… E, assim, vamos subindo ladeira abaixo.
Deixemos a TV pensar por nós, assim temos mais tempo de ver TV. É assim que a TV quer te ver: Com o controle,ou a falta dele, nas mãos a escolher por qual cano quer entrar…Cano 1, 7, 11?
Damos à televisão o melhor lugar da sala e permitimos que ela faça de Tiradentes um herói, de Evo Morales uma ameaça, de Lampião um desordeiro, da renúncia de Collor um impeachment e de Obama um pop star… “É sério, pô, eu vi na tv!”.

É preciso que se saiba ver as coisas por todos os ângulos, uma pirâmide vista do alto é um perfeito quadrado. O mundo é leitura. “Leia” o que se é dito e fique atento à pontuação, ao ponto de vista. Ligue a TV e assista tudo com muita atenção.
Assista a canais distintos, confronte informações e mídias diferentes, mas não esqueça de, antes do ON, acender um vela à Santa Protetora dos telespectadores.

Ah, sim…O tal texto antigo, tava quase esquecendo…

primeiro os primordios 1

MANIFESTO
Levantai-vos povo brasileiro,
Pois é chegada a hora do levante.
Nesse país onde a miséria não dá trégua,
Sejamos ponto. Sejamos Virgulino.
Nessa pátria onde não se faz luz,
Não nos acanhemos. Sejamos Lampião, ou tal como.
Não nos deixeis manipular ou esmorecer.
A justiça se faz cega porque o horizonte é negro.
Não sejamos covardes. Sejamos conselheiro.
O poder da revolta é o galope da revolução.
A vergonha é a catapulta da mudança.
Não tenhamos a cara pintada.
Estejamos limpos: mãos, corpo, alma e coração.
Não sejamos cabisbaixos. Falemos alto. Nos façamos ouvir.
Se sabemos que tudo está errado.
Por que esperar que outros venham mudar.
Onde estão os brasileiros?
Por onde se escondem, se escondem em que lugar.
Eu só acredito e tenho certeza de uma coisa:
Levantai-vos povo brasileiro.
É chegada a hora do levante!!!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31 de maio de 2012 em Falando Sério, Match Point, Mundo cão, WTF?!

 

Chegar ao ponto de corrida

“Lá é maravilhoso, para passar uns dias, mas não sei como alguém pode suportar viver, ali, naquela mesmice”.

Ouvi essa frase, dita cheia de segurança e pronta pra convencer o mundo, na fila do caixa eletrônico, de um homem que aparentava uns 40 anos e conversava com outro que espelho parecia.
É incrível como a polêmica anda solta pelo mundo esperando por alguém que a perceba, para isso, ela pega até fila de caixas eletrônicos.
Na fila, ambos os homens estavam a minha frente e a polêmica estava ao meu lado. Eu acabava de sacar tudo…
Como um lugar maravilhoso pode ser maravilhoso por apenas uns dias? Pensei: O que faz do paraíso um inferno em tão pouco tempo? Será a “mesmice” do paraíso ou o inferno inquietante que arde dentro da gente?
E como alguém pode afirmar uma coisa de forma tão categórica se o que é afirmado não passa de uma simples opinião?

correria do dia a dia ponto de onibus

O que mais vemos no mundo são línguas cuspidoras de axiomas e mentes apóstolas de seus próprios postulados. Verdades absolutas que, por preguiça de pensar de quem fala e de quem ouve, parecem saltitar demente em mente.

A gente, gente das metrópoles, acha que ser feliz é ter grana, carro importado, apartamentos com vista pro mar, fazer parte e inventar eventos sociais, jantar em caros restaurantes, consumir em shoppings centers e ser chamados de doutores.
Títulos, títulos… Esquecemos de pensar que, dessa forma, passamos tanto tempo correndo atrás de tudo isso que, mesmo quando as conseguimos, sequer temos tempo pra aproveitá-las.

O que mais vemos são “bem sucedidos” que nunca terão dinheiro suficiente pra comprar a felicidade, que andam em carrões mas não conhecem outros caminhos pra caminhar, tem vistas maravilhosas pra admirar e enxergam menos de um palmo a frente do nariz de cera, que nunca perceberam a brisa que a brisa tem, que comem e não sentem o gosto da comida e, por isso, consomem ainda mais e mal. Isso é ser feliz? Acumular e só? Estão, esses, cada vez mais sozinhos tendo a companhia de analistas pelos consultórios à dentro.

Não quero aqui fazer apologia à pobreza. Conforto é bom e todo mundo gosta, mas o mundo tem muito mais coisa a oferecer e se pode gostar de muito mais. Uma coisa, porém, é certa: É normal viver correndo sem parar pra poder parar um dia? Faz sentido viver se matando pra ter uma morte tranqüila? Farto, fazer do peito um trevo de frustrações e agonias ligadas por uma ponte de safena? Ter um milhão de problemas por procurar a“ tal” solução? Stress loucura ou não? Sim ou não? Hã?

A loucura vicia e todo vício faz mal. O sossego faz mal aos desassossegados, a simplicidade incomoda aos incomodados, o silêncio amplifica nosso pensamentos e como pensamos besteira o silêncio é mal, gente que pisa o chão descalço é triste aos olhos de quem pisa em toda gente, o pôr do sol é sem graça pra quem não tem a menor graça e a lua cheia em noite escura não é nada demais pra quem tudo já é escuridão, obscuridade.

correria do dia a dia homem escada

Correr… Correr… Correr… Consumir… Consumir… Sumir… Se não estivermos atentos passamos de transeuntes a trânsito com toda a velocidade. Precisamos estar atentos pra não sermos pegos de surpresa perseguindo o ponto de partida, pra não nos fazermos estranhos a nós mesmo, pra não pensarmos como se não pudéssemos pensar, pra não pegarmos fila e filássemos a vida por muito pouco a troco de nada…

Que demora desse tio em sacar a $$##@%#%%$ desse dinheiro e, ainda por cima, trás mil contas pra pagar no caixa eletrônico…Arg!!!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de maio de 2012 em Mundo cão, Porta Retrato, WTF?!

 

Mesmice e redundança

Esse texto foi produzido por Josenilson, Lord Biscoito, irmão que fiz na faculdade de Engenharia. Tão irmão que permitiu que eu destilasse um pouco de minha irônia em seu texto, eu “detextaria” que alguém fizesse isso com um texto meu. Rs…Valeu pela colaboração, meu velho. Estamos precisando tomar aquela mesma bebida e gelada do mesmo jeito como sempre…Rs. Mais uma vez, obrigado pelo apoio!

sal e acucar por favor

Despertador tocando, são cinco horas da manhã. É hora de levantar e começar a rotina. Isso se repete todos os dias. Será mais um dia de trabalho e estudos. Vou pegar o ônibus e encontro os mesmos amigos que pegam o mesmo ônibus todos os dias no mesmo horário. A mesma dança de passos marcados.
Entro no ônibus que segue a mesma rota todos os dias. Do nada um diz: “o sistema é bruto”, o outro concorda. Mudou o rumo da prosa, agora é sobre futebol, depois sobre violência ou qualquer outro tema previsível. Sempre a mesma conversa paralela que, por ser paralela, nunca me toca. Meu despertador desperta bem mais a minha atenção.

Às vezes não concordo com algumas coisas, outras tantas com nada, mas prefiro ficar calado, afinal, quando um não quer dois não falam besteira. Por que tudo se repete todos os dias?
Durante o dia de trabalho, problemas e mais problemas para resolver. Por que os problemas não são os mesmos?
Pelo menos os meus não são, senão eu teria logo a solução: A mesma solução de sempre.
Quem quer mudanças? Quem quer mudar? Quem consegue esperar? Quem agüenta esperar? Pra começar, não quero mais do mesmo, quero mais do novo. Estou cansado de sempre correr atrás das coisas, agora quero correr ao lado delas. Como sempre, só eu pareço pensar assim…

A vida é um poema comprido e de métrica complicada, quase nunca rima, mas, diferente dos textos, é cheia de pontos finais.É preciso estar atento sobre nosso papel nisso tudo. É triste que se perca tanto tempo querendo obter resultados diferentes somando parcelas iguais. ” A repetição leva a excelência”, mas ao repetir sem pensar corremos o risco de não pensar com perfeição.

Se a vida é um poema, prefiro ser como sempre fui: Eu diversos!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 de maio de 2012 em Licença Poética, Porta Retrato, Pseudo Cult