RSS

Arquivo da categoria: Pior é na Guerra

Como se fosse um sonho…

Em 2008 eu entrei no mercado imobiliário para estagiar numa grande empresa. A empresa estava ainda iniciando os trabalhos no estado e chegou investindo forte em infraestrutura e captação de clientes, por isso tinha um setor de atendimento e marketing forte.
Eu consegui a vaga pelos meus conhecimentos em Estatística, e comecei no “sub-setor” de Pesquisa/Inteligência de Mercado. Mas fui “convidado” a participar dos lançamentos, com a ideia de que era o melhor caminho para conhecer os “dinossauros” do mercado, mostrar a cara e ascender na empresa e no mercado.
O mercado estava muito forte, lançando mais que o dobro dos cinco anos anteriores somados, e os eventos eram muitos e os investimentos nestes eventos eram fora de série. Shows de grandes artistas nacionais (como Nando Reis e Dinho Ouro Preto), presença VIP de atores e atrizes globais, e eu lá, me sentindo um estranho no ninho.
Num destes eventos, este presente uma famosa atriz global, tirando fotos e distribuindo beleza e sorrisos no evento. Eu sempre tive certa rejeição inicial a pessoas famosas, e com ela não foi diferente, mesmo ela sendo uma das musas da minha adolescência, quando assistia malhação.
Eu sempre tive a sensação de que aquele sorriso era de plástico. Era escolhido depois de várias tentativas na frente do espelho ou de um fotógrafo.
Com ela não foi diferente, cada sorriso era uma sensação de falsidade que vinha e eu imaginava que ela estaria odiando estar ali, tirando fotos com todos aqueles corretores suados e mal educados. Não que eu achasse o máximo estar ali, eu só achava que a pessoa pra fazer este tipo de trabalho tinha que gostar do que faz. No mínimo achar jocoso.
Tanto era assim que, geralmente, quando o público diminuía, a presença VIP não ficava mais do que 10 minutos e corria para a van, onde ficava até ir embora, para hotel, presença VIP em outro lugar ou reunião com os chefes.
Para a minha surpresa, ela ficou. Foi super-simpática com o pessoal que ficou. Tirou fotos e mais fotos com os garçons, estagiários, até pensei em tirar também, mas resolvi não trair minhas ideologias.
Neste dia, após o evento iria ter um jantar dos chefes com a presença VIP da atriz e, para a minha maior surpresa, o chefe convidou até os estagiários para a mesa grande.
Como estagiário fica com o trabalho mais pesado sempre, eu sentei logo. E como alguns chefes, só se juntam aos estagiários a contra gosto, eles foram sentando longe e as cadeiras foram se acabando. No final das contas, a última cadeira disponível era ao meu lado. E não é que a loira VIP sentou ao meu lado? Tudo bem que até estagiário tinha que usar terno e gravata, e isso nos “camuflava”.
E ela super aberta à conversa, falava com todos os presentes (principalmente respondia a perguntas) e, vez ou outra, fazia uns comentários até interessantes sobre as perguntas. Era engraçado porque eu estava ao seu lado e ela falava baixo, às vezes sussurrava bem de perto, o que gerava olhares inacreditáveis do pessoal ao redor, o que também mereceu comentário dela.
Acho que a minha maneira de lidar com a situação a agradou, a nossa conversa era muito menos formal do que era com o restante do pessoal. E a surpresa maior ficou para o final, quando ela pediu meu número e deu um “toque” para que eu salvasse o seu.
Esta foi a hora em que a minha perna amoleceu. Fiquei tenso. Não entendi o motivo d’ela ter pedido e tinha a certeza de que ela não iria me ligar nunca. Cheguei em casa e entrei no MSN pra contar pro amigo mais próximo que estivesse online, aquilo não poderia morrer comigo!
Infelizmente não tinha ninguém próximo online e eu fui deitar, mas antes de dormir eu precisava olhar a minha agenda e conferir se era verdade. E, aí meu coração disparou, tinha um SMS dela, de cinco minutos antes. O sono foi embora.
Trocamos umas cinquenta mensagens até o “boa noite” (felizmente eu tinha pacote de mensagens que não me deixou ficar sem crédito).
O dia seguinte era domingo e, mesmo assim trabalhei. Morri de vontade de ter mandado mensagem de “bom dia” ou de “boa viagem”, mas não tive coragem suficiente.
Já estava perto de escurecer e eu já saindo do ShowRoom, quando meu celular apita. Ela não tinha conseguido pegar o voo devido ao mau tempo em SP e perguntou se eu não conhecia um lugar que tivesse comida mexicana boa. Eu não entendi se era um convite ou se ela só queria o nome, dei o nome. Claro. Sei onde é o lugar do estagiário.
Mas ela só sabia chegar na praça próxima ao restaurante e perguntou se eu não poderia ir com ela a partir desta praça. E eu disse que ia em casa pra tomar um banho e a esperaria na praça.
No horário combinado ela chegou e fomos andando até o restaurante. Com vários olhares. Eu tive que perguntar como ela aguenta todo mundo olhando o tempo todo. Ela explicou que já é assim desde sempre, acabou se acostumando.
Chegamos no restaurante, que eu acho ótimo pela pouquíssima iluminação, sentamos numa mesa de canto e após o pedido do prato, ela chegou mais perto e aproximou o rosto. Ao sentir a sua respiração eu senti um cheiro nada agradável. Pior ainda foi que ela começou a passar sua língua em mim. Mas o pior de tudo foi que eu acordei com Tobias, o Cocker Spaniel da casa, lambendo.
Foi o melhor sonho e o pior despertar da minha vida.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de março de 2015 em Pior é na Guerra, WTF?!

 

Amigos Joselitos

Sempre que me falta assunto, vem alguma história da infância/adolescência que me dá vontade de contar. E é o que vou fazer.

Eu juro que tenho quase uma completa inocência. Geralmente sou inocente. Sério. Não é maldade. Sou considerado o “bom garoto”, que toda mamãe quer como genro. Mas às vezes as coisas saem do controle (como o fogo de um post passado).

Toda viagem de adolescente, sempre aparece um sem-noção que suja a cara de alguém de pasta, esconde as coisas dos outros, tranca outro no quarto, etc…

Mas sabe quando as pessoas insistem em não sair da infância? Eu não acho que seja desses… ainda guardo um pouco de noção. Menos quando outra pessoa sem-noção faz coisas sem-noção pra cima de mim.

Numa destas viagens, com a galera da qual o sem-noção faz parte, nós saímos pela noite pra tomar umas, comer qualquer besteira, reconhecer o ambiente hostil, etc… “Terra alheia, pisa no chão devagar…”

Nisto, “Jão-sem-noção” encontrou um amigo (ele sempre encontrava algum conhecido em todo lugar que íamos) e se separou da galera, o que levou “Zé-sem-noção” ao ápice do ciúme e desejo de vingança (alok).
Zé-sem-noção elaborou um plano maligno contra Jão e nos incluiu nisso.
Como na turma dos sem-noção ou você se omite, ou você se corrompe ou você vai pra guerra, eu preferi me omitir (mesmo sabendo os riscos que estaria correndo).

A idéia de Zé era: “que tal jogar o xampu do Jão fora e colocar água oxigenada com bastante amônia no lugar?”.
Mas como era necessário sol e muito tempo, resolveram mudar para um “estimulante sexual” na bebida. Como também não acharam, resolveram usar um laxante. O que, para eles, deveria ser algo bem engraçado.
E lá se foram à farmácia. Com uma menina fingindo dor.

Compraram o laxante tradicional, muito mais forte e muito mais barato. O farmacêutico disse que 2 era mais do que suficiente para se aliviar sem fronteiras. Os sem-noção compraram 5.
No churras do dia seguinte, todos estavam apreensivos com algum mole de Jão para que eles conseguissem colocar o plano em prática.

Enquanto ele ia dar umas roubadas na carne mal-passada, quase crua (coisa de sem-noção), o pessoal triturava os comprimidos e jogava no copo. Cada roubada na carne era uma mexidinha no copo.
Depois do churrasco, baba! E o efeito veio rápido. Nem chegamos ao campo e ele: “Car@Lh#! Preciso ir ali!”

O pior é que tínhamos combinado uma saída noturna e o efeito não passava! Como era uma pizzaria, ele topou ir, mesmo com dor de barriga.
Depois do primeiro pedaço, ele foi pro banheiro. Os caras todos rindo e as meninas já achando que a brincadeira já tinha passado dos limites.
Mas ele voltou rápido. Tão rápido que a galera ficou aliviada achando que o efeito já tinha acabado.
Mas aí ele falou:

– Cara, não tem como cagar nesse banheiro. A privada NÃO TEM PORTA! Quem tá mijando consegue ver quem tá cagando!

Meu rosto já doía de tanto rir. Ele dizia tudo isso na maior altura, no meio da pizzaria. Ele não queria passar vergonha sozinho. Mas tínhamos uma pizza para terminar e ele não podia esperar. Correu pro banheiro e… CARALHOOOOOO ele fez ali mesmo!!!

Depois, ao voltar pra casa, todos ficaram com medo de dormir pela vingança do Jão. E ele passou a madrugada indo ao banheiro de hora em hora…

Hoje a pizzaria é um bar. E o nome.. bem:

bar do cagão

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 de julho de 2013 em Chuta que é Macumba, Mundo cão, Pior é na Guerra

 

Protesto ou desfile?

Nos últimos dias o Brasil tem passado por um dos momentos mais importantes de sua história. O país foi tomado por uma onda de protestos que começou visando revogar o aumento da tarifa do transporte da principal capital, cresceu atirando pra todo lado, mostrando pra todo o planeta grandes problemas do Brasil que os governantes achavam que a população ignorava.

Tá. Tudo muito lindo. Mas como foi que essa legião de revoltados resolveu sair do PC e ir às ruas? E nem to falando de quem foi quebrar tudo…
Houve uma glamourização enorme das passeatas com pessoas fazendo até foto de biquinho, pose pra colocar tinta na cara, pra depois colocar no facebook.
Sim, o descaso está aí faz tempo. Sim, estas pessoas contribuem em número, fazem volume e dão um peso para que tomem atitudes.

Só que brasileiro reclama de tudo e não resolve nada, são um bando de maria-vai-com-as-outras… que boa parte nem entende o que está se passando ali. E essa boa parte acha que a vida é resumida em futebol, fofoca, carnaval, cerveja e putaria, e tá lá fazendo nada.
É importante protestar sim. Mas aposto que mais de 90% não lembra em quem votou pra vereador e deputado na eleição passada… e nem o que seus candidatos fizeram, ou deixaram de fazer.

É curioso que o aumento da tarifa de ônibus, um fato econômico, gere passeatas e mobilização dos jovens enquanto a violência generalizada nas cidades brasileiras, que impõem medo e insegurança em toda a parte, não mobiliza um grupo de mais de 50 pessoas.
Espero muito estar enganado, torço pra que haja menos protestos nas redes sociais, que continuem reclamando para as pessoas certas, e não no bar, no twitter e no facebook.

O Brasil está acabado, tudo sucateado, políticos esfregando salários exorbitantes, verbas de todo tipo, regalias, etc., condenados assumindo mandato, pessoas que trabalham no sentido oposto de cargos que assumem (como homofóbicos na comissão de minorias, corruptos no conselho de ética)…
Ninguém quer nada a longo prazo. Existem mudanças que devem ser feitas pra já.
Espero que com essa onda de protestos o Brasil realmente se torne um país sério e pare com a putaria que está instalada há tanto tempo em todo setor público.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de junho de 2013 em Mundo cão, Pior é na Guerra

 

Consideração

“Joga todo mal pra fora
Abre o peito e chora em paz
Que é bonito demais”

Tenho pouca coragem de fazer declarações, demostrações públicas de amor, afeto, consideração, principalmente com as pessoas próximas.
Às vezes tenho esta vontade de sair oferecendo as coisas aos desconhecidos, parece que esvazia um pouco essa retração que eu me imponho. Taí, vou sair distribuindo barquinhos de papel por aí… cada um com uma letra de uma música que eu gosto.
Coragem e verdade. Tá, jogo da sinceridade comigo não funciona. Não, não estou mentindo, só não tenho coragem de dizer a verdade e ouvir, talvez uma verdade pior.
Isso sempre piora as coisas para quem convive comigo. Sempre acham que eu estou tramando algo, na verdade eu só penso em como evitar situações.

Acho que todas as pessoas deveriam assistir este filme e ouvir sua trilha fantástica:

“ninguém partiu porque quis, foi a seca que empurrou
quem partiu, partiu chorando… quem ficou também chorou…”

E eu tô escrevendo pouco mas juro que eu volto.

 

Mais um outono

29 outonos completados, por pouco. Respondendo a todas as mensagens facebookianas e cada vez mais tendo a certeza de que estou velho… São as emoções contraditórias. Ver o quanto você é lembrado, e agora, beirando os 30 e ainda não cheguei perto do milhão de dólares que eu queria ter nessa idade… rs
Tenso isso de que cada ano a mais é um ano a menos.
E as vontades de fazer nada o dia todo crescendo, porque, com o passar do tempo, fazemos tanta coisa durante o dia que só sobra tempo pra descansar, quando sobra.

niver fail

Aniversário é um dia para, acima de tudo, agradecer por aquelas pessoas terem cruzado o meu caminho e lembrar o quanto sou importante em algumas vidas. Mesmo que eu não os veja, eles estão lá.
Seria bom ter uma saúde melhor e uma memória pior. A não ser que eu já tivesse minha casinha branca no campo, com uma varanda de frente pra vida. Um rio ao lado, uma cachoeira adiante, árvores e uns piazinho enchendo a paciência.

Mas como eu me esculhambo o tempo todo, as coisas não andam. Não repare a bagunça que a varredeira não veio hoje.

Tenho alguns anos criando intolerância à velhice. Não a dos outros, a minha. Acho que vou voltar a fazer umas comemorações psicodélicas e passar a esconder a idade. Se todo mundo se assusta quando eu digo a idade real, deve funcionar. De aniversário eu até gosto. Ainda mais ganhar presentes como os que eu ganho ^^’

bolo de maconha niver psicodelico

E que venha o novo, de novo.

 
1 comentário

Publicado por em 27 de maio de 2013 em Pior é na Guerra, Porta Retrato

 

Tundum pá tssss

Mulher fala pelos cotovelos, sempre rola a conversa em que fevereiro é o mês que elas falam menos. Elas pensam pela boca. Desde pequenas.
Desde sempre aprendem a falar o que pensa, falar seus planos, seus sentimentos, amores, sonhos, ciúmes…

femea_gaivota

Acho que é a busca pelas respostas. Elas vão soltando palavras e esperam o eco com estas respostas. Elas acham que desse eco vem os insights que a salvarão da perdição.
Elas enlouquecem com os moços que falam pouco, ou quase nada. Elas fazem mais terapia que nós homens. Tadinho dos analistas.

mulher fala muito

Mulheres falam toda sua vida para um estranho numa fila qualquer. É só esta fila durar dez minutos. Conversar reorganiza as idéias deste cérebro maluco que elas tem.
Então elas conversam com a amiga que enche de conselhos certos e errados, com o namorado que se esforça pra se manter acordado ou com o travesseiro mesmo. É só o eco que elas esperam.

QUE TIPO DE MULHER É VOCÊ _thumb[1]

Claro que elas só não falam quando a gente quer. E aí, só Freud (de quem tenho sérias dúvidas de sua masculinidade) explica.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 6 de maio de 2013 em Guerra dos Sexos, Pior é na Guerra, WTF?!

 

Só se vê na Bahia…

Gente que sofre e chora (de verdade!) ouvindo “Fulaninho e seus teclados” está até normal depois de “Pablo, o Mito!”, mas existem coisas no interior que ainda me deixam deslumbrado (ou intrigado)…

Lua cheia nascendo deslumbrante, mesmo sendo atrás da serra e não no mar… o sol se pondo idem…

lua cheia na serra

Restaurante que fecha para almoço (?!?!)

Ter mais jegues e cavalos do que cachorros e gatos na rua…

jegue na rua

Casas sem divisão de cômodos mas com sua parabólica

parabolica na roça

Sky HDTV com 6 pontos… e as pessoas continuam assistindo Globo, mesmo com Sky ¬¬

O nome “Roupa Domingueira” voltando a fazer sentido hauahuahaahueha

Academia por 30,00 (a mais cara)

Ser obrigado a “bater o baba” calçado (eu sofro tanto)…

Depois continuo lembrando das coisas loucas daqui, agora partiu descansar porque a academia (de 25,00) me matou!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 29 de abril de 2013 em Chuta que é Macumba, Mundo cão, Pior é na Guerra, WTF?!